Torcida do Cruzeiro dá show em estádio fora de Minas Gerais

Além do lance, digamos, curioso, que marcou a última partida do Cruzeiro, diante do Ituano, no empate por 1 a 1, outro fator, esse fora de campo, chamou a atenção no Novelli Júnior, no interior paulista. Trata-se da quantidade de cruzeirenses que foram acompanhar a partida nas arquibancadas do estádio. 

Mesmo com todos os reveses do confronto, e um empate amargo para a Raposa, a torcida do Cruzeiro foi protagonista no estádio e, como de costume, ao final do jogo, fez a tradicional saudação viking com os jogadores. A partida, inclusive, foi o maior público do Ituano registrado nesta Série B dentro do bonito estádio Novelli Júnior: 5.890 pagantes.

A festa fora de campo para um jogo atípico

O Cruzeiro começou o jogo melhor, fazendo valer em campo o estilo de jogo de Pezzolano, com posse de bola e linhas altas no ataque. No entanto, as primeiras grandes chances foram do Ituano, que levou perigo pelo menos duas vezes ao gol de Rafael Cabral. 

Ainda no primeiro tempo, já nos minutos finais, os cruzeirenses ficaram na bronca com a arbitragem após a anulação do gol de Edu. O lance, inclusive, revoltou Ronaldo, que usou as redes sociais para alfinetar a decisão do VAR

O atacante celeste balançou as redes aos 44 minutos, mas o VAR analisou o lance, traçou as linhas e indicou impedimento. A decisão, no entanto, foi equivocada, visto que a linha foi marcada no jogador errado do Ituano.  

Na volta do intervalo, aos nove minutos da etapa final, Luvannor balançou as redes, em um lance de sorte e dedicação. Fez-se a festa dos quase dois mil torcedores celestes presentes em Itu. O atacante, pelo lado direito do campo, entrou na área, e, ao realizar o cruzamento, a bola bateu na coxa do goleiro adversário e entrou. 

A Raposa passou a administrar o resultado. Ainda na primeira metade da etapa final, o Cruzeiro teve uma clara e evidente chance de ampliar o placar. Daniel Júnior foi acionado no ataque e partiu cara a cara com o goleiro, mas sofreu falta de Lucas Vinícius, que foi expulso. 

O Ituano, com um jogador a menos, conseguiu o empate. Aos 33 minutos do segundo tempo, em uma falha coletiva do sistema defensivo do Cruzeiro, Bernardo Schappo deixou tudo igual. 1 a 1. Final de jogo.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.