Por que o Mineirão recebe tanto dinheiro do governo de Minas Gerais?

O Gigante da Pampulha passou, entre os anos de 2010 e 2012, por um processo que visava modernizar o estádio para a Copa do Mundo do Brasil, que foi realizada em 2014. As obras foram custeadas pela Minas Arena, que administra o Mineirão. Desde então, o governo do estado faz repasses mensais à empresa. Desde 2013, já foram pagos pouco mais de R$1 bilhão.

Entretanto, considerando apenas o valor gasto à época, a Minas Arena teria que receber do governo um montante de R$677.353.021,85, valor assinado no contrato. Acontece que as parcelas são calculadas mensalmente de acordo com a variação das taxas de juros. Sabe-se que o Brasil é um país de moeda instável e que a conta deverá considerar a inflação.

Quanto o governo ainda deve pagar?

Até o final do contrato, isto é, 2037, a Minas Arena poderá embolsar um total de R$2 bilhões, de acordo com cálculos do diretor comercial do estádio, Samuel Lloyd, revelados em entrevista recente ao Superesportes. O empresário garante que o valor equivale ao total gasto pela empresa nas obras, considerando, é claro, a correção monetária. 

“Se a gente pensar a Pb (nome de uma parcela) não performando 100%, a gente teria que receber do estádio mais R$809 milhões até 2037. A conta é feita com base na Selic. Quanto mais tempo você demora para ressarcir aquele investimento, mais cara fica a conta, porque os juros vão aumentando”, explicou. 

De acordo com Lloyd, o dinheiro é utilizado para pagar os gastos com as obras e para a manutenção do estádio. “Até hoje, nós recebemos R$1 bilhão e 54 milhões. Em um país que tem juros altos em dez anos, você compra o mesmo frango que você comprava há dez anos com o mesmo dinheiro? É uma conta extremamente complexa”, disse. 

Por fim, o empresário analisou, por alto, quanto equivale o dinheiro que já foi pago pelo governo de Minas Gerais. A saber, segundo Lloyd, não supera o valor gasto nas obras de mais de R$670 milhões. “Hoje, aqueles R$1 bilhão e 54 milhões, que foram pagos pelo estado significam, se a gente retroagir sem os juros, R$481 milhões”, finalizou.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.