Fluminense não se cala e solta o verbo para tratamento recebido no Mineirão

Apesar da linda festa protagonizada tanto pela torcida do Cruzeiro quanto pelos torcedores cariocas que estiveram no Mineirão, a noite da última terça-feira (12) ficou marcada também por cenas de violência no estádio. Dentro de campo, o Tricolor das Laranjeiras superou a Raposa por 3 a 0, na partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, e avançou. 

Entretanto, nas arquibancadas do estádio, antes da bola rolar, algumas pessoas se envolveram em uma confusão que chegou às vias de fato. Tudo começou quando poucos torcedores do Fluminense pularam as grades que separavam o espaço destinado aos visitantes e foram em direção onde estava a torcida do Cruzeiro. 

Uso desproporcional de força?

Pouco antes da bola rolar, contáveis torcedores do Fluminense e do Cruzeiro se envolveram na confusão. As imagens mostram que algumas cadeiras do estádio chegaram a ser arrancadas por parte dos cariocas. Funcionários do Mineirão não conseguiram apartar a briga. 

A Polícia Militar foi acionada e, ao chegar no local, de acordo com o Fluminense, fez uso de ‘força excessiva’. De fato, é possível notar, em imagens que, inclusive, foram televisionadas, um oficial da lei disparar o gás lacrimogêneo diretamente no olho de um senhor que vestia a camisa Tricolor. No momento. a situação já estava controlada. 

Por meio de publicação em suas redes sociais, o Fluminense emitiu uma nota em que repudiou o tratamento da Polícia Militar no estádio. O clube carioca convocou ainda seus torcedores a enviarem para sua ouvidoria vídeos da ação da PM durante a confusão. A equipe declarou que pretende acionar autoridades do governo de Minas Gerais. 

Confira, a seguir, trechos do comunicado: “O Fluminense repudia de forma veemente o tratamento dado pela Polícia Militar do Estado de Minas Gerais aos torcedores tricolores que estiveram presentes no Mineirão, nesta terça-feira (12/07)”, inicia o documento.

“Diversos relatos de uso desproporcional da força policial, antes, durante e, sobretudo, após a partida. Policiais utilizaram gás de pimenta mesmo em situações nas quais os torcedores não apresentaram qualquer comportamento agressivo. A conduta dos policiais presentes à partida deve ser objeto de imediata investigação dos órgãos responsáveis”, diz trechos do texto. 

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.