Um elogiado e outro não: Cruzeiro vive o oposto do Atlético no futebol feminino

O Cruzeiro está passando por momentos de grandes glórias, sonha com um futuro de conquistas e vive período oposto do Atlético-MG. Com elenco mais forte nesta época no masculino, a situação é contrária na categoria feminino, onde as garotas do Galo foram rebaixadas no Brasileirão e crise está estabelecida, com gestão do clube deixando de lado e gerou críticas por todos os cantos.

Mariana Spinelli, jornalista da ESPN, criticou a gestão do futebol feminino do Atlético nesta quarta-feira (19). Especialista na categoria feminina, a comunicadora não perdoou a gestão do Galo, já que a equipe foi rebaixada com rodadas de antecedência. “Cresci ouvindo que se o Galo tiver disputando “bolinha de gude”, o atleticano torce e tá lá pelo amor à camisa. O Atlético feminino foi rebaixado por descaso de um grupo que se diz atleticano. Esse Atlético não importa?”, disse Spinelli.

“O Atlético começa uma temporada mandando embora 20 jogadoras, trazendo atletas para ter um mínimo para disputar a temporada, que é uma exigência. Então, jogadoras jovens, jogadoras que foram expostas, vieram num remendo. Comissão técnica, demitiram o treinador, uma bagunça completa”, complementou a jornalista.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

No entanto, Mariana elogiou a gestão do Cruzeiro, que vem investindo na categoria e tem conquistado títulos. “Vamos usar o exemplo do Cruzeiro, rival que vem de anos terríveis, por três anos na Série B do Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro montou um time competitivo, com profissionais que conhecem. Não é que a situação do Cruzeiro era a mais tranquila de todas, o Cruzeiro também está passando por esse processo de SAF, mas conseguiu ser profissional, deu atenção profissional, e hoje faz um marketing muito positivo usando o futebol feminino”, finalizou.

Comentários estão fechados.