Salário de R$ 800 mil foge dos padrões e Cruzeiro deve buscar nova opção no mercado

O Cruzeiro estava interessado na contratação de grande jogador do futebol europeu que já atuou no Brasil, mas foi surpreendido ao saber que o salário exigido é de R$ 800 mil por mês, fora dos padrões atuais do clube mineiro e tomou a decisão de buscar uma nova opção no mercado de contratações, que abre no dia 10 de julho.

Aberto a receber propostas do Brasil, Yerry Mina tem contrato com o Cagliari, da Itália até 30 de junho de 2024. O jogador não tem como prioridade voltar a América do Sul neste momento, mas já deu um valor que começaria a topar propostas. Sem viver auge, o jogador colombiano aceitaria receber o mesmo atual, que é cerca de 150 mil euros (R$ 800 mil) por mês.

As cifras exigidas, no entanto, não são fora da realidade para o futebol brasileiro, mas como o Cruzeiro vive período de reestruturação, dificilmente a Raposa toparia arcar com os vencimentos nesta casa para um defensor. Mina teria o terceiro maior salário do elenco, atrás somente de Matheus Pereira (R$ 1,5 milhão) e Cássio (R$ 1 milhão).

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Em entrevista recente, Pedrinho enfatizou achar absurdo os valores pagos a jogadores neste momento. “Eu não vou entrar nessa ciranda, nessa briga, que não tiver dentro da nossa realidade. Eu não vou desfalcar meu negócio para colocar no Cruzeiro para fazer bonito. Vamos fazer a coisa consciente, com o pé no chão, é o mais importante”, disse o investidor.

Comentários estão fechados.