Reforço do Atlético revela ajuda do Cruzeiro para dar a volta por cima

Cruzeiro e Atlético-MG se enfrentaram na final do Campeonato Mineiro de 2024. Após o empate no jogo da ida por 2 a 2, disputado na arena MRV, a Raposa chegou para a grande decisão com a vantagem de jogar por uma nova igualdade. Como se não bastasse, o time celeste abriu o placar na volta com Mateus Vital, mas sofreu a virada e deixou o título ir parar nas mãos do rival. 

Um dos gols do Atlético naquele jogo foi marcado pelo meio-campista Gustavo Scarpa, o seu primeiro com a camisa alvinegra. No jogo diante do Rosario Central, disputado na última quarta-feira (10), o meia balançou as redes mais uma vez e revelou que o tento anotado contra a Raposa foi crucial para que ele retomasse a confiança.

“O gol no final de semana me trouxe mais confiança e felicidade. Eu estava sem fazer gol há muito tempo. Saí do Brasil muito bem, conquistando títulos individuais e coletivos. Depois passei um ano com lesões e jogando pouco. Então poder chegar no Atlético-MG, estando ciente do peso da minha chegada e poder marcar um gol na final, de título, foi muito importante para retomar minha confiança”, revelou.

Após derrota para o Atlético, Cruzeiro está pressionado por resultado

Do lado do Cruzeiro, não custa lembrar que a derrota na final do Estadual ocasionou a demissão do técnico Nicolás Larcamón. A diretoria anunciou a chegada de Fernando Seabra para a vaga. O novo treinador fará sua estreia na noite desta quinta-feira (11), às 21 horas, no Mineirão, contra o Alianza, da Colômbia, pela segunda rodada da fase de grupos da Sul-Americana.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Pode-se dizer que o Cruzeiro precisa da vitória nesta noite de quinta-feira para dar uma resposta ao seu torcedor após o início de temporada traumático. Afinal de contas, não custa lembrar que a Raposa também foi eliminada da primeira fase da Copa do Brasil. Desta forma, além da Sul-Americana, resta ao time Mineiro a Série A do Brasileirão.

Comentários estão fechados.