Receita que deu certo! Rendeu R$ 243 milhões ao Cruzeiro

O Cruzeiro está trabalhando nos últimos anos para poder organizar as contas do clube, apostou em modelo de austeridade sob o comando de Ronaldo Fenômeno e agora viu receita dar super certo, gerando R$ 243 milhões aos cofres do Cabuloso. Com mudança de gestão na SAF, Pedro Lourenço pegou um clube mais organizado para o futuro de glórias.

O Cruzeiro divulgou, na última quarta-feira (16/5), o balanço financeiro da SAF temporada 2023. O clube registrou receita bruta de R$ 243,8 milhões e reduziu a dívida em R$ 365 milhões em relação ao ano anterior. O valor atingido foi quase R$ 100 milhões maior que o de 2022, que havia sido de R$ 150,4 milhões, 62% maior.

Se mantendo na Série A, a Raposa garantiu estabilidade para os próximos anos, reduziu a dívida consideravelmente e aumentou as receitas. De acordo com o demonstrativo, o Cruzeiro reduziu o endividamento em R$ 365 milhões desde a chegada da Sociedade Anônima do Futebol (SAF), que atingiu a marca de R$ 1,052 bilhão e agora está em R$ 749,2 milhões.

Evolução da dívida de 2017 a 2023

  • 2023: R$ 749,2 milhões
  • 2022: R$ 1,052 bilhão
  • 2021: R$ 970 milhões
  • 2020: R$ 898 milhões
  • 2019: R$ 804 milhões
  • 2018: R$ 533 milhões
  • 2017: R$ 371 milhões

Ao todo, os R$ 243 milhões foram atingidos com receitas divididas, que tiveram os direitos de transmissão como maior fonte. Premiações foram aquém do esperado por não ter ido longe na Copa do Brasil.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

  • Transmissão e de imagem e desempenho: R$ 101,7 milhões
  • Patrocínios, publicidade, luva e marketing: R$ 48,5 milhões
  • Transferência de atletas: R$ 20,7 milhões
  • Bilheteria: R$ 28,6 milhões
  • Programa sócio torcedor: R$ 31 milhões
  • Receitas com royalties e licenciamento: R$ 11,8 milhões

Comentários estão fechados.