Mãe de Daniel Alves viveu situação dramática no primeiro dia de julgamento

Daniel Alves começou a ser julgado em Barcelona na última segunda-feira (5) por agressão sexual a uma mulher de 23 anos. O crime teria sido cometido ainda em dezembro de 2022. Vale lembrar que o acusado está detido na Espanha desde janeiro do ano passado.

No primeiro dia de julgamento, Lúcia Alves, mãe de Daniel Alves, enviou um vídeo à imprensa afirmando que havia sido barrada da sessão. Porém, o que aconteceu foi o seguinte: ela não estava credenciada e, em seguida, após o credenciamento, pôde entrar normalmente no tribunal. 

Destaca-se que Lúcia precisava de uma credencial por não ser nem advogada e nem testemunha. Após um certo desentendimento, a mãe do jogador conseguiu uma credencial e acompanhou o julgamento no tribunal. 

Durante o depoimento da denunciante, contudo, todos tiveram que sair da sala, incluindo Lúcia. Isso porque a Justiça determinou que o depoimento dela seria tomado apenas com a vítima. Junto a todos os jornalistas e pessoas que acompanhavam a audiência, Lúcia deixou a sala neste momento. 

Mãe de Daniel Alves também será julgada por crime cometido na Espanha

A denunciante falou por 1h15, em audiência fechada para proteger a sua identidade. Durante a sua fala, ela reafirmou que Daniel Alves a estuprou na noite de 30 de dezembro de 2022. Em seguida, a corte ouviu a amiga que a acompanhava naquele dia. Ela chorou bastante ao dar sua versão dos fatos. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda em tempo, não custa lembrar que, no final do ano passado, Lúcia Alves divulgou imagens da denunciante nas redes sociais. Isso, na Espanha, é tipificado como crime.

Comentários estão fechados.