Expulsão polêmica de Hulk segue rendendo após árbitro contar seu lado da história

O atacante Hulk, do Atlético-MG, teve expulsão polêmica na última segunda-feira (17), na derrota por 4 a 0 para o Palmeiras, na Arena MRV, pelo Brasileirão, após dois cartões amarelos seguidos por reclamação, que gerou grande polêmica pela reação desmedida do árbitro. Dois dias depois, a história ainda está rendendo e pode ser levada aos bastidores do futebol.

Na súmula, o árbitro Rodrigo Jose Pereira de Lima relatou que tomou a decisão por causa da reclamação de Hulk, mas considerada exagerada para o público em geral, que discordou da decisão. O jogador está fora da próxima partida do Galo e pode ser punido no STJD.

“Expulsei do campo de jogo com a aplicação do segundo cartão amarelo o Sr. Givanildo Vieira Souza (Hulk), n° 7, da equipe do Atlético-MG. Após receber cartão amarelo por reclamação, o mesmo partiu em minha direção de maneira acintosa, ficando face a face comigo e gritando de forma desrespeitosa as seguintes palavras: ‘me diz o porquê do cartão, me diz o porquê’”, diz o documento oficial da partida.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda no documento, Rodrigo José contou que Hulk colocou o dedo no seu rosto, fato que vem sendo contestado pelo atacante. “Após ter sido expulso, o mesmo empurra meu rosto com o dedo indicador de forma ofensiva, se negando a sair do campo de jogo. Quando o jogador decidiu deixar o campo de jogo, proferiu a seguinte frase em direção ao árbitro: ‘filho da p***’. Com isso, a partida ficou paralisada por três minutos”, completou o juiz.

Comentários estão fechados.