Cruzeiro lamenta a morte de Jô Soares

O Brasil despertou em luto com a notícia do falecimento de Jô Soares. Uma nação em dor, sem brilho, sem cor e sem a graça do eterno símbolo da comédia nacional. Jô Soares morreu na madrugada desta sexta-feira, 05 de agosto, aos 84 anos, após um período internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo

Jô Soares tratava de uma pneumonia, mas não resistiu às complicações clínicas do quadro. Amante do futebol, Jô recebeu diversas homenagens dos clubes brasileiros, incluindo o Cruzeiro e o Atlético-MG, pois, em luto, nunca haverá diferenças.

Através de suas redes sociais, as equipes mineiras deixaram suas últimas mensagens de carinho. “Obrigado por tudo, Jô. Um beijo pro gordo!”, postou o Cruzeiro. O Atlético, por sua vez, lançou uma nota de pesar. 

“O Atlético lamenta profundamente o falecimento de Jô Soares. O Brasil perde o talento de um grande artista e celebra a memória de seus inúmeros trabalhos. Viva o Gordo!”, escreveu o alvinegro de Minas. 

Jô e o futebol, uma história de paixão

Jô Soares era torcedor do Fluminense, mas, durante uma entrevista concedida ao canal ESPN, o apresentador se declarou um amante do futebol em si, em especial, é claro, quando bem jogado. 

“Com o tempo, fui me desvinculando da paixão clubística, porque o futebol passou a me interessar mais pela sua qualidade do que pela paixão ao clube. Aí não dá para assistir a qualquer campeonato europeu, para mim principalmente o Campeonato Inglês, e deixar de ver um jogo para assistir a um do Fluminense, eu não consigo”, disse. 

Impossível lembrar de Jô Soares e do futebol sem trazer à tona um de seus mais icônicos personagens: o Zé da Galera. Nos anos 80, a figura nacionalmente conhecida, conversava com o então técnico da Seleção Brasileira, Telê Santana, bradando às vésperas da Copa do Mundo de 1982: “Bota ponta, Telê”.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.