Cruzeiro 6 x 1 Atlético: Wellington Paulista dá declaração que causa calafrios no Galo

O Cruzeiro não quis saber de dificuldades na temporada de 2011, passou por cima do Galo e aplicou goleada humilhante de 6 a 1, em Sete Lagos, que para sempre está lembrada na história do clássico mineiro e foi fundamental para fazer a Raposa escapar do rebaixamento no Brasileirão aquele ano. Importante no resultado, o ex-jogador Wellington Paulista deu declaração impactante sobre o confronto.

Em entrevista ao The Players’ Tribune, Wellington Paulista, que se aposentou em 2023, relembrou a tensão na Toca da Raposa antes do clássico com o Atlético. Na declaração, o ex-jogador lembrou do que passava na sua cabeça antes do confronto.

“Tensão braba mesmo, de ficar com nó na garganta, perder o sono e tal, eu só senti uma vez. Te juro por Deus. Foi na semana daquele Cruzeiro x Atlético em 2011. […] Passei a semana inteira ouvindo palhaçada da torcida dos caras. […] Eu só pensava em entrar logo em campo, meter um golzinho, um só, 1 a 0 tava bom, e acabar logo com aquilo. Mas os dias se arrastavam. Eu chegava na Toca da Raposa de manhã pra treinar e sentia o clima pesado por todo lado, principalmente na cara dos funcionários do clube”, disse o atacante.

Marcante no elenco da Raposa entre 2008 e 2011, Wellington Paulista também comentou de toda a situação vivida no clube dois anos antes do clássico, quando o Cruzeiro perdeu a Libertadores para o Estudiantes.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Eu sabia direitinho o quanto dói uma tristeza cruzeirense. Dois anos antes, em 2009, a gente perdeu a final da Libertadores pro Estudiantes da Argentina dentro do Mineirão. Foi um baque absurdo. Talvez seja a minha maior dor nesses vinte anos de futebol profissional. […] Levei meses pra me recuperar, se é que um dia eu consegui. Não queria passar por uma frustração daquele tamanho nunca mais. Então, pra mim e pra todo mundo no Cruzeiro, o último jogo do Brasileiro de 2011 contra o Atlético era uma final. Jogo de vida ou morte, não tinha definição melhor”, finalizou.

Comentários estão fechados.