Prisioneiro fez forte revelação sobre convivência com Daniel Alves na cadeia

O julgamento de Daniel Alves, acusado de agredir sexualmente uma mulher em uma boate de Barcelona, em dezembro de 2022, chegou ao fim na semana passada. Em depoimento, o jogador alegou uso excessivo de bebida alcóolica, chorou e negou que tenha participado do estupro. 

Vale lembrar que Daniel Alves está detido preventivamente na Espanha desde o ocorrido. Agora, o ex-lateral aguarda a sentença da Corte, mas não tem esperanças em ser absolvido pelo tribunal. Ele pode receber uma pena de 4 a 12 anos de prisão. A tendência é que o veredito seja anunciado nas próximas semanas. 

Companheiro de Daniel Alves na prisão revela que jogador não tem mais esperanças

O fato é que, um dos companheiros de Daniel Alves no Centro Penitenciário de Brians, em Barcelona, revelou detalhes do seu dia a dia, em entrevista à emissora catalã Antena 4. De acordo com o detendo, o ex-jogador não tem esperanças de ser absolvido. 

“Dani Alves considera o julgamento perdido. Ele sabe que ninguém vai acreditar nele”, disse, em conversa com a jornalista Susanna Griso, do programa Espejo Público. 

A defesa do ex-jogador, ciente da gravidade do caso, adotou uma nova estratégia em busca de reduzir a pena do lateral: alegar que Daniel Alves estava embriagado na noite do crime. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Isso porque, três artigos do Código Penal do país europeu estabelecem atenuantes que podem reduzir à metade a pena do condenado.

Além disso, o jogador depositou 150 mil euros, que podem reduzir a pena, a depender da juíza do caso. Esse valor indenizatório é considerado atenuante de reparação ao dano causado. Daniel Alves deve cumprir a pena na Espanha, local onde o crime aconteceu.

Comentários estão fechados.