Ninguém esperava que Bernardo teria este desfecho na carreira

O meia-atacante Bernardo, formado nas categorias de base do Cruzeiro, apareceu para o futebol com grande expectativa, mas sofreu com problemas extracampo e teve desfecho na carreira que ninguém esperava. Com grande habilidade, o jogador começou bem, passou por grandes clube, mas agora aos 33 anos disputa torneio pouco relevante.

A URT, de Patos de Minas, anunciou nesta segunda (1) a contratação do meia Bernardo para a disputa do módulo II do Campeonato Mineiro. O meia estava no Brasiliense e acertou com a equipe do interior de minas. Bernardo passou pelas categorias de base da Raposa e ganhou destaque pela primeira vez em 2011, quando foi emprestado ao Vasco e fez 18 gols em 57 jogos

Com muito potencial, tudo desandou quando Bernardo foi sequestrado para ser questionado sobre o relacionamento com uma mulher ligada a um traficante do Complexo da Maré. Bernardo negou qualquer envolvimento com ela e disse que foi liberado pelo traficante após intervenção do lateral Wellington Silva. Em entrevista recente, o jogador revelou bastidores do caso.

“Você chega e é conhecido, as pessoas ficam com inveja e acabou que eu sofri aquela pressão psicológica. Que me bateram, me agrediram, isso é tudo mentira. Tanto que depois faço uma reportagem e estou bem, rosto normal. Como isso teria acontecido eu estando bem um, dois dias depois disso ter acontecido? Foi mais uma pressão psicológica por um fato que não aconteceu, isso eu já relatei. Ficou chato porque você paga um preço e uma fama que não sou, do que não fiz. Então é um fato chato, falo normal, mas é o que falei. Saiu um pouco do trilho e manchou muito.”, afirmou.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda na fala, o meia contou que nunca se envolveu com drogas, apesar de problemas extracampo. “Todo mundo sabe do histórico que aconteceu no Rio de Janeiro. As pessoas sempre vinculam algo de droga, mas tenho todos esse anos de carreira e nunca caí em doping, nada. Meu problema sempre foi tomar uma bebidinha mais forte”, disse o meia de 33 anos.

Comentários estão fechados.