Marcelo reclama dos treinamentos de Fernando Diniz ao vivo

O lateral-esquerdo Marcelo, do Fluminense, não quis nem saber e reclamou dos treinamentos do técnico Fernando Diniz em declaração recente. Trabalhando com o treinador desde o meio de 2023, quando retornou ao futebol brasileiro após 15 anos na Europa, o experiente jogador está sentindo na pele as dificuldades com Diniz, famoso pelo temperamento complicado na beira do campo.

Em entrevista ao podcast PodPah, Marcelo comentou das sessões de treinamentos dadas por Diniz no Fluminense. Na declaração, o lateral apontou que quando era novo, aos 18 anos, treinar era fácil, já que a juventude ajudava, mas agora, na reta final de carreira, está começando a pesar bastante.

“No Fluminense treinava mais, né? Naquela época treinava de manhã a tarde, mas assim, eu não estava nem aí porque eu treinava, novinho pô, 18 anos. Agora que é o problema Diniz, pô!”, disse Marcelo, que apontou Zidane e Diniz como os maiores treinadores que teve na carreira.

Com carreira super vitoriosa, Marcelo fez história no Real Madrid, sendo cinco vezes campeão da UEFA Champions League (2014, 2016, 2017, 2018 e 2022). Aos 35 anos, o lateral retornou ao Brasil e venceu a Libertadores pelo Fluminense na temporada passada.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda na entrevista, Marcelo afirmou que Diniz tem traços parecidos com os de Fernando Diniz. Para o lateral, os dois possuem jeitos semelhantes de trabalharem as deficiências dos jogadores e motiva-los a melhorarem.

“Ele parece muito o Mourinho. Essa questão de tática, essa loucura maravilhosa, eu adoro. Mas ele consegue mexer no ponto que o cara precisa. Teve um jogo contra o Flamengo e ele falou: “Faz o que tu quiser. Se errar, foda-se! Aqui não tem isso”. Aí eu domino a bola, vou na frente e achei que o Ganso estava atrás de mim. Aí eu domino a bola, girei e, quando dou o passe, a bola sai. Aí ele: “Porra, tá de sacanagem?”. Eu falei: “Ué. Não era foda-se?”. Ele: “Não dá pra errar essa bola”. Não era dura porque eu errei. Ele é tipo pai mesmo. Acho muito maneiro”, contou o lateral.

Comentários estão fechados.