Mafia Azul é banida de jogos do Cruzeiro por um ano

Em momentos diferentes de suas histórias, Cruzeiro e Atlético Mineiro se enfrentaram no domingo, dia 6 de março, pela nona rodada do Campeonato Mineiro 2022. Mandante deste ano, o Galo saiu vencedor por um placar de 2×1, após virada com pênalti polêmico a seu favor, e um gol nos acréscimos de Ademir, reforço do time para a temporada.

Devido aos recentes casos de violência relacionados ao futebol, o duelo entre as duas equipes mineiras contou com uma inovação no setor de segurança do Mineirão. Recentemente, as equipes do Náutico, Grêmio e Bahia, sofreram ataques de torcidas adversárias.

Para o clássico mineiro neste domingo, o indivíduo que cometesse qualquer tipo de ato ilícito no estádio, teria de realizar um cadastramento facial, sendo impedido de retornar a qualquer partida futura do seu time.

“O torcedor que brigar ou causar confusão nos estádios da capital mineira ficará proibido de acompanhar outros jogos do time, como previsto na lei e no estatuto do torcedor”, comentou Flávia Birchal, coordenadora dos Juizados Especiais.

Apesar de paz dentro do estádio, nas ruas, torcedores da MafiaAzul e da Galoucura, torcidas organizadas dos clubes mineiros, protagonizaram cenas de violência que acabaram com uma pessoa morta, após ser atingida por um tiro.

A Federação Mineira de Futebol, acatou a sugestão do Ministério Público de Minas Gerais, e baniu ambas as organizadas por um período de um ano dos estádios. A decisão vale para todo o território nacional. O banimento proíbe o uso de vestimentas, faixas e bandeiras que façam menção as organizações.

Briga entre Cruzeiro e Atlético

Na terça-feira, dia 1 de fevereiro, o Brasil venceu em Belo Horizonte, no Estádio Mineirão, a seleção do Paraguai em partida válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2022.

Apesar da festa ao final da partida, o começo do confronto entre Brasil e Paraguai foi marcado por cenas de briga entre torcidas organizadas dos principais clubes de Belo Horizonte, Atlético e Cruzeiro.

Integrantes da Galoucura, maior organizada do Galo, e da Máfia Azul, do Cruzeiro, se encontraram nas arquibancadas de dentro do estádio e protagonizaram as cenas de violência.

Após ação da Polícia Militar presente no local, 21 torcedores foram presos, todos eles da Galoucura. O tenente-coronel Trant da PM de Minas Gerais, falou sobre o acontecimento.

“Temos 21 presos no momento aqui, todos integrantes da Galoucura, sendo que cinco deles já estão no crime de tentativa de homicídio, e o restante em rixa e provocações de tumulto.

Segundo informação do posto de saúde, um deles (torcedor agredido) foi socorrido ao hospital Odilon Behrens, mas ele está consciente. Apesar de confusão mental, a princípio, teria tomado uma pancada na cabeça”

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.