Homem que assassinou ex-jogador do Cruzeiro é condenado a 42 anos de prisão

Ex-jogador do Cruzeiro, Daniel Corrêa foi assassinado em 27 de outubro de 2018, durante uma festa em São José dos Pinhais, no Paraná. O julgamento do caso, no entanto, só teve fim na última quarta-feira, 20 de março de 2024.

Edison Luiz Brittes Junior confessou a autoria do crime e foi condenado a 42 anos, 5 meses e 24 dias de prisão em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado. 

A esposa do Edison, Cristiana Brittes, e a filha do casal, Allana Brittes, também foram condenadas. A primeira pegará seis meses de prisão e um ano de reclusão em regime aberto. Já Allana foi condenada a 6 anos, 5 meses e 6 dias de reclusão e nove meses de detenção. 

Relembre a trajetória de Daniel, ex-Cruzeiro

Daniel Corrêa foi revelado nas categorias de base do Cruzeiro, mas também atuou por outras equipes do Brasil, como Botafogo, São Paulo, Coritiba e Ponte Preta. O meio-campista faleceu aos 24 anos. 

Ele foi encontrado morto em outubro de 2018, em São José dos Pinhais. Daniel estava parcialmente degolado e com o órgão genintal cortado, de acordo com informações da polícia. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Apesar de ter feito sua trajetória nas categorias de base do Cruzeiro, foi no Botafogo onde o meia teve a sua primeira chance no profissional. Após um bom início de trajetória, despertou interesse e foi contratado pelo São Paulo.

Com a camisa do Tricolor, não rendeu o esperado e acabou sendo emprestado ao Coritiba. Uma grave lesão no joelho acabou atrapalhando a sua carreira no clube paranaense.

Comentários estão fechados.