Ex-jogador do Flamengo conta bastidores jamais vistos sobre a prisão do goleiro Bruno

Ex-goleiro do Flamengo, Diogo foi contratado para o clube carioca pouco tempo depois que Bruno foi preso e precisou lidar com grande crise que a equipe estava passando. Com curta passagem, o goleiro contou em entrevista como era o ambiente na época e que o assunto não era comentado entre os jogadores do elenco rubro-negro.

Para o jornalista André Hernan, no UOL, Diogo contou que o time não vinha bem e que os jogadores não comentavam do assunto para se proteger na época da crise, usando o caso de Bruno como uma das razões do mau momento vivido.

“O time não estava tão bem naquela época. Tinha cobrança. Foi um ano bem complicado para o Flamengo. Eu cheguei lá e, dez dias antes, o Bruno tinha sido preso. […] Mas foi um ano complicado. Ninguém tocava no assunto. Parece que, como o momento não era bom no campo, também era uma forma de se proteger. Já não estava bom no campo, estava pior fora. E era natural. Não era combinado.”, disse Diogo.

Ainda na declaração, Diogo contou que nos vestiários, os jogadores tem o costume de falar sobre tudo, mas na época o assunto Bruno era evitado por todos. Bruno foi condenado a 23 anos e um mês por homicídio, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado de Eliza. Ele foi para o regime semi-aberto em 2018 e está em liberdade condicional desde janeiro de 2023. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Eu não me recordo de ninguém falando do Bruno. No futebol, a gente fala, a gente conversa. E eu não me lembro de ninguém tocando no assunto. E foi uma coisa muito complicada. Acho que não tinha porque comentar”, completou o ex-goleiro do Flamengo, que não teve sucesso no clube. Após rápida passagem, o titular da posição passou a ser Felipe, que jogava no Corinthians.

Comentários estão fechados.