Dívida do Cruzeiro envolvendo Dedé alcança valores astronômicos

O zagueiro Dedé é um caso emblemático do futebol brasileiro. O defensor tinha tudo para entrar no seleto grupo de ídolos do Cruzeiro, mas jogou a sua história por água abaixo com o fatídico episódio do rebaixamento celeste em 2019. 

Naquele ano, Dedé pouco atuou, é verdade, mas esteve envolvido nas maiores polêmicas no vestiário do clube. Após o rebaixamento, deixou a Toca e acionou o Cruzeiro na Justiça.

Dívida do Cruzeiro sobre Dedé só faz crescer

Em uma sentença proferida nesta quarta-feira (24), o Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou que o Cruzeiro pague R$ 18.065.750 a um grupo de empresários envolvidos na contratação do zagueiro Dedé em 2013. 

Vale lembrar que a ação teve início ainda em agosto de 2021, e teve como base a cláusula indenizatória do contrato de Dedé, com pedido inicial de R$ 330 milhões. 

Com a devida correção monetária, o valor da condenação supera a casa de R$ 33 milhões. De acordo com a sentença, o período considerado para a aplicação da correção vai de 1º de abril de 2013 (contratação de Dedé), até a data da sentença proferida, ou seja, 24 de janeiro de 2024. Ambas as partes podem recorrer. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O grupo de empresários, aliás, já sinalizou que vai recorrer da decisão, uma vez que não teve todos os seus pedidos acatados pelo Tribunal. 

A passagem de Dedé pelo Cruzeiro

Ao todo, Dedé esteve em campo com as cores da camisa do Cruzeiro em 188 jogos, com 15 gols marcados e sete títulos. O zagueiro foi bicampeão do Brasileirão (2013 e 2014) e bi da Copa do Brasil (2017 e 2018), além de três Estaduais. Porém, como mencionado, deixou o clube de forma traumática e manchou a sua passagem pela Toca da Raposa.

Comentários estão fechados.