Cruzeiro chega pressionado nos próximos jogos

O Cruzeiro soube nos últimos dias as datas e horários das partidas finais do Campeonato Mineiro, contra o Atlético-MG, e está ciente que vai chegar pressionado. Sem conquistar o título estadual desde 2019, o Cabuloso quer encerrar a sequência do maior rival e sabe que o desempenho mostrado na grande decisão vai pesar diretamente na confiança da torcida com o time para a sequência da temporada.

A opinião também é do jornalista Guilherme Alves, que fez análise do desempenho na final do Mineiro coma estreia no Brasileirão, que vai acontecer no meio de abril. “Imagina só se o Cruzeiro perde esse título Mineiro. E o Cruzeiro perde na estreia do Brasileirão. A pressão aumenta e vai ser muito mais”, disse o comentarista nesta sexta-feira (22).

O primeiro jogo será no sábado, dia 30, às 16h30 (de Brasília), na Arena MRV. O segundo confronto está marcado para o dia 7 de abril, domingo, às 15h30, no Mineirão. As duas partidas vão acontecer com torcida única, com isso no primeiro jogo apenas atleticanos estarão nas arquibancadas e no segundo apenas cruzeirenses.

Por ter tido a melhor campanha na competição, o Cruzeiro joga por dois empates ou vitória e derrota, pelo mesmo saldo de gols, para ficar com o título. Com Nico Larcamón no comando, o Cruzeiro está trabalhando focado na decisão desde a última quarta-feira (20), na Toca da Raposa.

Presidente do Palmeiras rasga o verbo

A presidente do Palmeiras, Leila Pereira, parou o Brasil na última quinta-feira (21) ai rasgar o verbo condenando e cobrando posicionamento sobre as condenações de Daniel Alves e Robinho. Chefe de delegação da Seleção Brasileira, que vai disputar amistosos contra Inglaterra e Espanha nesta data Fifa, Leila cobrou mais posicionamentos da entidade organizadora do futebol e dos jogadores.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Ninguém fala nada, mas eu, como mulher aqui na chefia da delegação, tenho que me posicionar sobre os casos do Robinho e Daniel Alves. Isso é um tapa na cara de todas nós mulheres, especialmente o caso do Daniel Alves, que pagou pela liberdade. Acho importante eu me posicionar. Cada caso de impunidade é a semente do crime seguinte”, disse Leila em entrevista ao UOL.

Comentários estão fechados.