Wagner Pires de Sá critica venda do Cruzeiro para Ronaldo

Ronaldo Fenômeno anunciou a compra de 90% das ações do Cruzeiro no dia 18 de dezembro de 2021, pelo montante total de R$ 400 milhões. A Raposa é o primeiro clube-empresa no Brasil a usar o modelo Sociedade Anônima do Futebol (SAF), desde que foi aprovado pelo Congresso Federal no ano passado.

Após 86 dias da assinatura oficial do contrato de compra, Ronaldo exige novos ajustes e discute assuntos fundamentais para se tornar dono em definitivo do clube. Uma das principais exigências, seria a compra das Tocas da Raposa I e II, porém, qualquer negociação envolvendo imóveis sobre domínio do clube, deve ser votada pelo conselho deliberativo.

O ex-presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, comentou sobre a negociação de venda da SAF e revelou ter mudado sua aparência para passar desapercebido pela torcida celeste.

“Estou com barba para despistar, porque eles estão querendo me jogar pedra, mas beleza. Entregaram o nosso Cruzeiro, tá?”, relatou Wagner.

Gestão Wagner Pires de Sá (2018-2019)

Mesmo no curto período de dois anos, o presidente Wagner Pires de Sá, e seu vice Itair Machado, marcaram sua gestão como a pior da história do Cruzeiro, e uma das mais prejudiciais do futebol brasileiro.

No tempo em que ficaram no comando da direção, a dívida da Raposa que já chegava aos R$400 milhões, após aumentos absurdos de salários, comissões, terceirização de serviços e utilização indevida de cartões corporativos, passou a ser de R$1 bilhão.

A empresa Kroll, especializada em consultoria de riscos e recuperação judicial, contratada pelo clube, apresentou relatórios que demonstravam despesas 53% maiores que a da gestão anterior, a de Gilvan Pinho Tavares, em 2016-2017.

Wagner é réu desde 2020 por denúncia do Ministério Público de Minas Gerais, assim como Itair Machado e Sergio Nonato, ex-diretor geral. De acordo com o MPMG, o roubo dos cofres foi estimado em R$6,5 milhões.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.