Ricardo Rocha Cobra Cruzeiro na Justiça

O ex-jogador e sócio majoritário do Cruzeiro Esporte Clube, Ronaldo Fenômeno, não assume uma missão fácil em sua nova posição como responsável pelo clube mineiro.

Realizando seu terceiro ano na Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, a Raposa ainda possui uma dívida bilionária e passa por um de seus piores momentos, em 101 anos de história.

No dia 11 de janeiro Ronaldo concedeu sua primeira entrevista como gestor do clube, e explicou a delicada situação financeira da instituição.

“O Cruzeiro tem que gastar somente aquilo que arrecada. O cenário hoje é bem complicado, com receitas de até os próximos dois anos já antecipadas e já gastas, então encontramos um cenário trágico no clube, mas temos que cuidar. O Cruzeiro é um paciente em estado grave, na UTI”.

Para piorar, Ricardo Rocha e Maurício Copertino, auxiliar de Vanderlei Luxemburgo, entraram na longa lista de cobrança do clube.

Recentemente, o fisiologista Emerson Silami e o preparador físico Antônio Mello também da equipe de Vanderlei acionaram a equipe, em ações que chegam a R$ 2.052.985,39.

Desta vez, Maurício cobra R$ 564,027,45. Valor refente aos salários atrasados e pagamento de multa devido a rescisão contratual. Copertino recebia R$ 68.000 de salário na Toca da Raposa.

Os valores pedidos por Ricardo Rocha estão em sigilo na justiça, desta forma não há detalhes sobre a quantia acionada pelo ex-diretor técnico.

Cobranças Contra o Cruzeiro na Justiça

Confira abaixo as cobranças realizadas na justiça contra o Cruzeiro desde o começo da gestão de Ronaldo:

  • Guilherme Gomes

    A primeira desde a aquisição de Ronaldo, foi aberta pelo ex-nutricionista do clube, Guilherme Gomes, que pede nada mais nada menos que R$ 1,2 milhão, entre pagamentos de horas extras, férias, 13º salário, FGTS e pagamentos triplos de domingos trabalhados. As informações são do site UOL.

    Dentro do valor total pedido pela defesa do nutricionista, ainda está incluso também o pagamento de premiações que não teriam sido realizadas em 2017 e 2018.
  • Marquinhos Gabriel

    O meia Marquinhos Gabriel que atuou pela equipe no fatídico ano de 2019, que acabou com o primeiro rebaixamento da história do clube, deu início a uma ação trabalhista contra o Cruzeiro. O valor da causa é de R$5.633.274,46.

    Os valores são baseados em FGTS, verbas rescisórias e valores acordados nas negociações de rescisão contratual.
  • Emerson Silami e Antônio Mello

    O fisiologista Emerson Silami e o preparador físico Antônio Mello da equipe de Vanderlei Luxemburgo acionam a equipe, em ações que chegam a R$ 2.052.985,39.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.