Reestruturação do Cruzeiro começou devagar e clube deixou de ganhar R$ 525 milhões

O torcedor do Cruzeiro começou a semana com duas tristes notícias para lamentar. A primeira delas, por óbvio, foi a derrota por 4 x 1 para o Bahia, na 11ª rodada da Série A do Brasileirão. Como se não fosse o bastante, o clube ainda se viu paralisado e perdeu a chance de faturar uma verdadeira bolada. 

Isso porque o Palmeiras anunciou, no último sábado (22), a venda de Estêvão, de 17 anos, ao Chelsea. A negociação superou a casa dos 60 milhões de euros. O Alviverde encheu os cofres com a transferência do jovem, ao passo que o Cruzeiro lamentou fatos passados. 

Revelado pelas categorias de base do Cruzeiro, Estêvão é considerado uma das maiores promessas do futebol brasileiro. No entanto, o meia-atacante deixou o clube mineiro após ter seu nome envolvido em um esquema fraudulento da gestão de Wagner Pires de Sá, quando tinha apenas 14 anos. Portanto, não haverá uma grande recompensa à Raposa pela venda do jogador.

Cruzeiro deixou de ganhar R$ 525 milhões

A situação é um tanto quanto parecida com a de Vitor Roque, que deixou o Cruzeiro em 2022 por apenas R$ 24 milhões e, pouco mais de um ano depois, foi vendido ao Barcelona em uma transferência que pode chegar a R$ 400 milhões.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Para se ter uma ideia, enquanto o Palmeiras vai faturar cerca de 250 milhões de reais pela venda de 70% dos direitos de Estêvão, e o Athletico ganhou 275 milhões com Vitor Roque, o Cruzeiro ficou apenas com um pequeno percentual das negociações por meio do mecanismo de solidariedade da FIFA. 

Comentários estão fechados.