R$ 500 mil mensais e luvas milionárias: Goleiro Bruno assinou pré-contrato com gigante

O goleiro Bruno, afastado do futebol desde o meio de 2010 após ser acusado e posteriormente condenado pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, ex-namorada, e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho, recebeu proposta de R$ 500 mil em salários e luvas milionárias ao assinar pré-contrato com gigante europeu.

Campeão brasileiro pelo Flamengo em 2009, Bruno vivia o auge da carreira e era cotado para ser convocado pela Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2010. O ex-goleiro, atualmente com 39 anos, tinha pré-contrato assinado com o Milan, da Itália, que foi rasgado após escândalo judicial. “Me f…, tinha um pré-contrato assinado com o Milan e perdi tudo. O patrocinador cancelou, o Flamengo suspendeu o contrato”, lamentou o ex-jogador.

Kia Joorabchian, empresário de Bruno na época, estava à frente das negociações que levariam o goleiro ao Milan. O ex-jogador também tinha proposta do Zenit, da Rússia. Com futuro promissor, o caso encerrou a carreira do goleiro, deixando o filho órfão e ficando na prisão por 12 anos. Desde 2023 está em liberdade condicional.

Sem poder contar com os altos salários do futebol, Bruno afirmou que precisa tomar certas medidas para bancar os custos do filho. “Do outro lado tem uma criança que precisa. Se a Justiça me colocou como pai, eu preciso colaborar como pai”, afirmou.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Em entrevista recente, Bruno contou que está vivendo das vendas de camisas do período de Flamengo. “O que me sobrou foram as camisas do Flamengo. Estou fazendo rifas para pagar uma pensão que hoje eu não tenho condições. Como pagar se não me deixam trabalhar? A mesma pessoa que me cobra um pagamento de R$ 90 mil é a mesma pessoa que quando eu comecei a trabalhar estava lá apoiando outros grupos, é uma perseguição. Todo mundo acha que eu tenho dinheiro”, disse Bruno.

Comentários estão fechados.