R$ 200 milhões: A diferença que levou Pedro Martins ao Vasco

O Cruzeiro perdeu na última quinta-feira (25) o executivo Pedro Martins, que ocupava o cargo de diretor de futebol, para o Vasco, que o contratou para o cargo após saída de Alexandre Mattos. Sem conseguiu manter o dirigente pesaram R$ 200 milhões de investimento, valor inalcançável para a Raposa, que ainda tenta se organizar financeiramente.

No comando do futebol do Cruzeiro desde o começo de 2022, junto da chegada da SAF com Ronaldo Fenômeno, Pedro Martins fez 68 contratações no período, mas sofreu com a falta de orçamento, tendo gasto R$ 200 milhões a menos que o Cruzmaltino, dificultando a chegada de reforços. Desde que chegou à Toca da Raposa, 68 jogadores foram contratados pelo clube, sendo 36 em sua primeira temporada, 26 em 2023 e 10 em 2024.

Em toda a sua gestão, Pedro Martins investiu R$ 48,7 milhões em reforços, contra R$ 247,8 milhões do Vasco. As duas equipes estão sendo geridas pelo modelo da SAF e disputaram juntas a Série B em 2022, onde conseguiram o acesso e tinham orçamentos limitados.

JanelasContratações do CruzeiroContratações do Vasco
1ª de 2023R$ 20,9 milhões (19 jogadores)R$ 104,4 milhões (16 jogadores)
2ª de 2023R$ 16 milhões (7 jogadores)R$ 12,2 milhões (10 jogadores)
1ª de 2024R$ 11,8 milhões (10 jogadores)R$ 131,2 milhões (11 jogadores)
TotalR$ 48,7 milhões (36 jogadores)R$ 247,8 milhões (36 jogadores)

Pelas redes sociais, o Cruzeiro confirmou a saída do executivo e desejou sorte na sequência da carreira. “O Cruzeiro informa que Pedro Martins aceitou convite para novo desafio profissional e não é mais o diretor de futebol da instituição. Agradecemos por todo o profissionalismo, dedicação e entusiasmo com os objetivos do clube, e aproveitamos ainda para desejar muito sucesso na sequência de sua trajetória. Com a saída de Pedro, Paulo André assume de maneira interina a função de diretor de futebol.”, publicou no X.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Comentários estão fechados.