Quando parecia tudo calmo: Seabra ganha dor de cabeça no Cruzeiro

Fernando Seabra assumiu o comando técnico do Cruzeiro há pouco mais de um mês. Neste recomeço, o treinador tem enfrentado um problema em específico no clube: os números defensivos. 

Para se ter apenas uma ideia, desde que assumiu o Cruzeiro, o time mineiro sofreu dez gols em seis jogos, isto é, uma média de aproximadamente 1,67 bolas na rede a cada partida

Seabra está com problemão para resolver no Cruzeiro

Considerando todos os jogos de 2024, ou seja, levando em conta as partidas com Nicolás Larcamón, os números são melhores, mas nem tanto. Ao todo, o Cruzeiro sofreu 23 gols na temporada, em 20 partidas disputadas até aqui, uma média de 1,15 por jogo. 

A situação preocupa a torcida do Cruzeiro. Afinal de contas, não custa lembrar que o time encerrou a temporada do ano passado com a melhor defesa do Brasileirão. Na verdade, o sistema defensivo foi um dos responsáveis pela permanência da Raposa na elite nacional. 

No Brasileirão de 2023, o Cruzeiro sofreu 32 gols em 38 jogos, média de 0,84 por partida. Já na atual edição do torneio nacional, o número mais do que dobrou. Até aqui, em quatro jogos, a Raposa sofreu sete gols, quase dois por jogo. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda em tempo, destaca-se que o Cruzeiro voltará a campo nesta terça-feira (7), às 21h30, para encarar o Alianza, da Colômbia, fora de casa. A partida será válida pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana.

O Cruzeiro ainda não venceu um jogo sequer no torneio continental e, até aqui, tem três empates. Para ficar com a vaga direta nas oitavas de final da Sul-Americana, o time mineiro precisa, pelo menos, vencer os três jogos restantes. 

Comentários estão fechados.