PVC revela empecilho na venda do Cruzeiro e assusta torcedores

Como todos bem sabem, o Cruzeiro tem um novo dono: Pedro Lourenço. A negociação da venda de 90% das ações da SAF do clube foi concretizada na última segunda-feira (29), na Toca da Raposa. Ao todo, o empresário irá desembolsar cerca de R$ 600 milhões.

O fato é que, para o jornalista Paulo Vinícius Coelho, a venda das ações do Cruzeiro em pouco mais de dois anos não é um bom sinal para o futebol brasileiro. De acordo com o comentarista, o ideal seria ter uma implementação de um projeto a longo prazo no país. 

“Ter uma venda logo depois da compra não é bom sinal para as SAFs no Brasil, porque a lógica era que o empresário tomasse conta e fizesse um plano de sucesso, mais ou menos como fez Berlusconi no Milan. Berlusconi foi um facínora como político, mas foi revolucionário como diretor esportivo. O Ronaldo ainda não conseguiu ser”, disse.

PVC analisa venda do Cruzeiro

Por outro lado, Paulo Vinícius Coelho destacou que a chegada de Pedro Lourenço no comando do Cruzeiro representa uma esperança ao torcedor. Isso porque o empresário terá mais poder de ação no clube do que tinha Ronaldo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Além disso, PVC ressaltou que a imagem de Ronaldo estava desgastada no Brasil. O jornalista lembrou que o maior patrimônio do Fenômeno não é o clube em si, mas a sua representatividade no mundo do esporte.

Ainda em tempo, vale lembrar que o Cruzeiro voltará a campo no próximo sábado (4), às 21 horas, para encarar o Internacional, no Mineirão. O duelo será válido pela quinta rodada da Série A do Brasileirão e ficará marcado pela primeira partida após a venda do clube para Pedro Lourenço. 

Comentários estão fechados.