Presidente do Cruzeiro abre o jogo sobre dívidas do clube

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, analisou as enormes dívidas do clube mineiro, e aproveitou para explicar como o novo gestor da equipe, Ronaldo Fenômeno, pode ajudar a instituição com o investimento financeiro.

De acordo com o dirigente da Raposa, o Cruzeiro atualmente, não possui recursos para resolver os débitos em 10 anos. No entanto, com o acordo de renegociação, o pagamento seria realizado em 8 anos, com as contas fechando no positivo.

“Em relação à recuperação, ficou claro através de projeções e cálculos que dá uma segurança jurídica maior pra poder fazer o parcelamento das dívidas. Pelas projeções que a gente tem, se fosse pelo regime da RCE (Regime Centralizado de Execuções), em 10 anos a gente não teria, pela projeção, como pagar as contas.

Pela recuperação, de acordo com os cálculos que a gente faz, de maneira muito direta, mas claro que podendo melhorar isso em muitos cenários, tem uma previsão muito tranquila de, em oito anos, quitar as dívidas com o planejamento que foi feito.”

Após 86 dias da assinatura oficial do contrato de compra, Ronaldo exige novos ajustes e discute assuntos fundamentais para se tornar dono em definitivo do clube. Uma das principais exigências, seria a compra das Tocas da Raposa I e II, porém, qualquer negociação envolvendo imóveis sobre domínio do clube, deve ser votada pelo conselho deliberativo.

Cruzeiro e a Crise Financeira

Na terça feira, dia 11 de janeiro, Ronaldo concedeu sua primeira entrevista como gestor do clube, e explicou a delicada situação financeira da instituição.

“O Cruzeiro tem que gastar somente aquilo que arrecada. O cenário hoje é bem complicado, com receitas de até os próximos dois anos já antecipadas e já gastas, então encontramos um cenário trágico no clube, mas temos que cuidar. O Cruzeiro é um paciente em estado grave, na UTI”.

Recentemente o dono da Raposa também comentou sobre a possibilidade de recuperação judicial no Cruzeiro.

“Na minha cabeça, a melhor saída é uma recuperação extrajudicial ou judicial. A gente pediu aos conselheiros do Cruzeiro que fossem aprovadas essas condições para que houvesse uma reconstrução de fato do clube. A recuperação é um instrumento legal para ajudar organizações que estão passando por momentos temporários de dificuldade financeira”

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.