Paulo Pezzolano. Foto: Divulgação/Reprodução.

Pezzolano perde a cabeça e solta a voz contra arbitragem de Cruzeiro x Vasco

Durante sua entrevista coletiva no Maracanã, após a derrota do Cruzeiro para o Vasco, por 1 a 0, no último domingo (12), o técnico celeste Paulo Pezzolano não poupou palavras e teceu críticas à atuação do árbitro Anderson Daronco e sua equipe no clássico. O uruguaio chegou a citar uma “falta de respeito” por parte do juiz.

O treinador celeste disse, entre outras coisas, que o tempo dado de acréscimos no segundo tempo teria sido desproporcional ao que de fato o jogo merecia. “Ele queria acabar a partida no minuto 20 no segundo tempo”, ironizou o treinador. “Viemos jogar uma final, e um árbitro internacional precisa estar à altura”, disse Pezzolano em um outro momento da coletiva.

Entenda como foi o confronto

Vasco e Cruzeiro entraram em campo no Maracanã em jogo válido pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Em um início de partida bem movimentado, de encher os olhos dos amantes do futebol, a equipe vascaína saiu na frente aos 24 minutos do primeiro tempo, com gol do atacante Getúlio. 

Na volta para a etapa final, o Vasco soube defender o resultado, neutralizando as principais características do Cruzeiro. Neste ponto do jogo, de acordo com Pezzolano, a equipe carioca teria buscado segurar a velocidade do partida, diminuindo o tempo de bola rolando. Para o uruguaio, nada disso foi considerado nos acréscimos. 

“Não gostei da arbitragem. Não tenho desculpas, mas um árbitro internacional que fica cercando o jogo. A cada falta, eles ficaram no chão, tudo lento. Chegou a 15 minutos sem jogar no segundo tempo. É brincadeira. Ele não veio fazer um jogo da importância de hoje, um clássico”, analisou Pezzolano.

O treinador do Cruzeiro também comentou sobre a atuação do VAR, que teria sido omisso ao não chamar Daronco para analisar uma falta dura no fim do primeiro tempo. “Nem vou falar dessa jogada. Se isso é para amarelo… São muitos detalhes no jogo que não gostei”, disse. 

Por fim, no momento mais incisivo da entrevista, o treinador uruguaio alegou uma ‘falta de respeito’ da arbitragem. “A história do Cruzeiro merece respeito. Não gostei, o respeito que o Cruzeiro merece não teve dentro de campo”, finalizou. 

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.