Ocorridos na Arena MRV terminam em vitória a favor de Cruzeirense na Justiça

O Cruzeiro venceu o Atlético-MG por 2 a 0 na Arena MRV no dia 3 de fevereiro, mas na justiça aconteceu outra vitória, mas com situação acontecida no primeiro encontro entre os dois no novo estádio. Uma torcedora cruzeirense que foi sentenciada a receber danos morais pelo ocorrido teve decisão publicada e agora vai receber valor interessante do Galo.

A chuva de processos de torcedores do Cruzeiro aconteceu após o Galo ordenar a retirada de portas dos banheiros, inclusive femininos e a falta de itens básicos como papel higiênico da Arena MRV. Nos últimos dias, várias decisões em primeira instância e na maioria dos casos em favor ao Cabuloso. O caso ainda está na primeira instância e cabe recurso.

“Desta feita, merece acolhida o pedido da requerente de reparação a título de danos morais. Nos termos da jurisprudência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, “a frustração da legítima expectativa caracteriza dano moral, quando aliada a circunstância que demonstre não se tratar de um mero aborrecimento”, Rafael Mendes, advogado responsável pelo processo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O magistrado Carlos Frederico Braga da Silva determinou o pagamento de R$2.000,00 de danos morais, de forma que Atlético (associação e SAF) e a Arena MRV respondessem de forma solidária. Ainda na resposta, o advogado explicou que a vitória na justiça é também para o futebol mineiro.

“Uma vitória não só para os torcedores do cruzeiro, mas para todos os entusiastas do futebol. A rivalidade deve ficar só dentro de campo!”, completou.

Comentários estão fechados.