Lembra dele? Ídolo do Cruzeiro está na Chapecoense

O Cruzeiro conquistou sua segunda vitoria na Série B nesta terça-feira, dia 27 de abril. No Mineirão a equipe mineira bateu o Londrina, por um placar magro de 1×0. Após sofrer um gol, que foi anulado pelo VAR, devido ao impedimento do atacante adversário e contar com a falha absurda do goleiro Matheus Nogueira, a Raposa assume a quarta colocação da Série B 2022.

Com os 3 pontos somados a equipe assumiu pela primeira vez na história uma posição no G-4 da segunda divisão. No entanto, com a vitória do Grêmio por 1 a 0 contra o Operário, a Raposa já caiu para a quinta colocação.

A próxima partida do Cruzeiro se torna decisiva para o retorno e permanência no G-4. O clube se prepara para enfrentar a Chapecoense na Arena Condá, neste sábado (30), às 19:00. Além da importância do duelo para a tabela, o elenco celeste deve reencontrar o ex-zagueiro Léo, que fez história em sua passagem por Minas Gerais.

No início deste ano a Chapecoense se acertou com o defensor. Léo, de 34 anos, estava livre no mercado desde que deixou a Raposa, e devido a lesões, não atuava desde setembro de 2020. No período fora dos gramados, o zagueiro se manteve ativo, realizando treinamentos individuais, em busca de manter a boa forma, o que agradou a diretoria da Chape.

Léo no Cruzeiro

Léo chegou ao Cruzeiro em 2010, em troca do zagueiro Leandro Amaro. Pela Raposa, conquistou 8 títulos, além do prémio de Melhor Zagueiro do Campeonato Mineiro, da Globo, em 2019.

Confira abaixo as taças que Léo levantou junto ao clube:

  • Campeonato Mineiro: 2011, 2014, 2018 e 2019
  • Campeonato Brasileiro: 2013 e 2014
  • Copa do Brasil: 2017 e 2018

O zagueiro se despediu do time em maio do ano passado, após 11 anos. Na época, o presidente Sergio Santos Rodrigues ainda se envolveu em uma polêmica em relação ao atleta, por consequência de um áudio vazado.

“Ele começou a postar treino na Toca e disse que estava treinando pesado. Bicho, treinar pesado assim, até eu. Toma uma porrada no joelho para ver o que acontece.

Aí nossos médicos falaram que não davam laudo para ele voltar a jogar. Simples. Eu não tenho coragem de deixar o Leo voltar para o campo. Aí ele disse que queria voltar para o campo e nós dissemos que, assim, teria que rescindir”

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.