John Textor tentou mudar o futebol brasileiro e acabou se dando mal no STJD

O norte-americano John Textor, dono da SAF do Botafogo, viveu grande fase no começo de 2023, quando o time estava líder no Brasileirão, mas agora vem se dando mal e foi parar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Em atitude surpreendente, o dirigente tentou mudar o futebol brasileiro, não obteve êxito e agora tenta se reerguer.

Em decisão publicada na última quinta-feira (22), o STJD decidiu manter a decisão do Tribunal pelo arquivamento do pedido do Botafogo em relação às decisões da arbitragem no Campeonato Brasileiro de 2023. Além de decidir, o juiz responsável pela causa fez críticas ao dirigente botafoguense.

“Essa movimentação jurídica do dono do Botafogo mais me parece o brocado de falso latinismo o famoso “Jus Esperniandi”, utilizando de artifícios, como alegações infundadas de manipulação de resultados, para tentar desviar a atenção do pífio desempenho de sua equipe na fase final do campeonato”, argumentou Mauro Marcelo de Lima e Silva em voto.

Ainda na resposta, o juiz afirmou que Textor deveria se preocupar com as decisões internas do Botafogo no lugar de procurar suspeitas na lisura do Brasileirão. O norte-americano passou nos últimos meses a reclamar com constância da arbitragem brasieira.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Ao invés de lidar com os desafios internos do seu time, como estratégias de jogo, treinamento dos jogadores e gestão da equipe, ele estaria tentando manipular o sistema para desviar a atenção dos reais problemas. Diante dos fatos e considerando cuidadosamente todos os elementos e fundamentos legais apresentados, nego provimento à Garantia Pleiteada, mantendo a decisão de arquivamento decidida pelo Pleno desta Corte em 07 de dezembro passado”, completou o juiz.

Comentários estão fechados.