Ídolo do Cruzeiro processa clube por R$10 milhões

O ex-jogador e sócio majoritário do Cruzeiro Esporte Clube, Ronaldo Fenômeno, não vive dias fáceis em sua nova posição como responsável pelo clube mineiro. Realizando seu terceiro ano na Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, a Raposa ainda possui uma dívida bilionária e passa por um de seus piores momentos, em 101 anos de história.

Para piorar, o ídolo e ex-capitão da equipe, Henrique, acionou o clube na justiça. Henrique possui mais de 500 jogos com a camisa celeste, e após lesão, tem recebido ajuda financeira do clube para custear os tratamentos. No entanto, Henrique deseja reativar seu contrato com a equipe mineira, além de receber os valores em atraso, que chegam a R$10 milhões.

O empresário Leandro Lima, responsável pela carreira do volante, comentou sobre a situação.

“A maior preocupação nem é a questão financeira. Todos sabemos da situação do clube, mas, em 2022, o Henrique, ainda lesionado e sob tratamento, foi largado pelo Cruzeiro e pela SAF. Não se trata um ser humano assim. Não tem assistência. Literalmente foi abandonado.

Depois, vão reclamar que estão sendo cobrados e que não poderão inscrever novos atletas. Desde janeiro deste ano, nem mais pagando o tratamento estão. Hoje quem paga o tratamento é o Henrique! O caso saiu da minha esfera e está no jurídico, que, até onde sei, já notificou o clube e a SAF, mas também foi ignorado”.

Cobranças Contra o Cruzeiro na Justiça

Confira abaixo as cobranças de jogadores realizadas na justiça contra o Cruzeiro desde o começo da gestão de Ronaldo:

  • Robinho
    O meia Robinho, bi-campeão da Copa do Brasil ao lado do equipe celeste, entrou na justiça contra o clube. No total, o valor da ação é de R$4.052.154,35. A decisão ainda cabe recurso por parte da Raposa;
  • Fábio
    O goleiro Fábio, ídolo da equipe mineira, que deixou o clube após a chegada de Fenômeno e sua diretoria, acionou o Cruzeiro na justiça.

    O goleiro de 41 anos, que agora atua pelo Fluminense, cobra valores que chegam em cerca de R$20 milhões. Dentre os pedidos, estão inclusos salários, premiações e luvas atrasadas.
  • Airton
    Airton, atacante do clube mineiro, entrou na justiça, antes mesmo de encerrar seu contrato com a equipe. O atleta cobra R$ 45.304,74, valor relacionado a uma porcentagem do valor pago pelo Ceará pelo empréstimo no ano passado.

    Airton entende que tem direito a 15% dos valores da negociação, que girou em torno de R$300 mil, e desta forma, cobra o Cruzeiro no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.
  • Matheus Índio
    O meia Matheus Índio, que nunca chegou a atuar pelo time, venceu sentença no valor de R$ 80 mil contra o clube, que deve tentar recurso.
  • Vinícius Popó e Gustavo Rissi
    O atacante Vinícius Popó e o zagueiro Gustavo Rissi, ambos revelados na base do clube, e que tiveram seus contratos rescindidos recentemente, acionaram o Cruzeiro na justiça.

    Vinícius iniciou ação em valor de R$ 2.197.697,91. Os valores são referentes a salários, férias, multa do FGTS, cláusula compensatória, 13º salário e outras multas, além de pagamento de honorários advocatícios.

    Já Gustavo Rissi, que nunca atuou pelo profissional do Cruzeiro, cobra R$ 877.593,51. A quantia é baseada também em salários, férias, multa do FGTS, cláusula compensatória, 13º salário e outras multas, além de pagamento de honorários advocatícios.
  • Marquinhos Gabriel
    O meia Marquinhos Gabriel que atuou pela equipe no fatídico ano de 2019, que acabou com o primeiro rebaixamento da história do clube, venceu uma ação trabalhista contra o Cruzeiro. O valor da causa é de R$5.633.274,46.

    Os valores são baseados em FGTS, verbas rescisórias e valores acordados nas negociações de rescisão contratual.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.