Homem que estava foragido é preso após briga entre torcidas de Cruzeiro e Atlético

A Polícia Civil de Minas Gerais cumpriu um mandado de prisão contra Marcos Vinícius Oliveira de Melo, torcedor suspeito de estar envolvido na briga entre torcidas de Cruzeiro e Atlético, no dia 2 de março, que terminou com a morte de um cruzeirense. 

Vale dizer que Marcos Vinícius estava em liberdade condicional. No entanto, o Tribunal de Justiça de MG considerou o suposto envolvimento na briga uma “causa suficiente para a suspensão do benefício”. Além disso, ele era considerado foragido desde a última semana. 

O tribunal julgou que Marcos Vinícius se envolveu mais uma vez em um caso “semelhante ao crime pelo qual já fora condenado”. Isso porque, em 2013, ele foi condenado a 15 anos de prisão por homicídio. 

Confronto entre organizadas de Cruzeiro e Atlético já era esperado

Atualmente, Marcos tem 35 anos e é membro da torcida Galoucura, a principal organizada do Atlético. Além disso, vale dizer que ele era assessor do vereador César Gordin (Solidariedade), mas foi exonerado do cargo logo após a suspeita de envolvimento na briga. 

Como mencionado, a confusão entre membros da Galoucura e da Máfia Azul acabou com a morte de um torcedor do Cruzeiro, no dia 2 de março. Outros cruzeirenses foram baleados e ficaram feridos. Dois suspeitos foram presos pela Polícia Militar. Uma arma de fogo e um carro foram apreendidos no local. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda em tempo, cumpre pontuar que o conflito já estava desenhado. Naquele dia 2 de março, Cruzeiro e Atlético-MG tiveram compromissos em Belo Horizonte. O Galo na Arena MRV, e a Raposa no Mineirão. Apesar da segurança redobrada da PM, não foi possível evitar a briga entre as organizadas. 

Comentários estão fechados.