Ex-volante do Cruzeiro vira a casaca e admite ser torcedor fanático do Atlético-MG

Nascido do interior de São Paulo, em Araraquara, Valdir Todinho logo deixou a cidade para conquistar o mundo do futebol. Foi em Minas Gerais que o ex-jogador construiu boa parte da sua carreira, tendo defendido os dois maiores clubes do estado. 

A primeira passagem do ex-volante pelo futebol mineiro foi em 1992, quando vestiu as cores alvinegra do Atlético. Por lá, atuou por duas temporadas, depois foi negociado com o Kashiwa Reysol, do Japão. Em 1998, voltou a Belo Horizonte, mas, dessa vez, para defender o azul celeste do Cruzeiro

Inimigos, inimigos, negócios à parte?

Pode-se dizer que Levir Culpi foi o grande responsável por esse vira-vira de camisas. Em sua passagem pelo Atlético, o treinador trabalhou com Valdir Todinho. Em 1998, o comandante estava à frente do Cruzeiro e teria pedido a contratação. O ex-volante jogou apenas uma temporada pela Raposa e foi dispensado do time, de acordo com ele, por ser atleticano. 

Todinho, em entrevista recente ao Superesportes, relembrou este momento inusitado da carreira, que teve início ainda em 1997. “O Cruzeiro foi jogar o Mundial no Japão. Conversei um pouco com o Zezé Perrella. Na época, meu sogro estava em Belo Horizonte e foi procurar o Atlético para negociar um retorno, mas eles não ficaram muito interessados”, contou. 

Eis que surgiu Levir Culpi neste imbróglio. Na época, ele comandava a Raposa. “Depois, o Levir assumiu o Cruzeiro e me ligou: ‘Gostaria de contar com você aqui no Cruzeiro’. Levir teve um peso muito grande para me trazer para o Cruzeiro”, revelou o ex-jogador, de 56 anos. 

Valdir Todinho contou que foi muito bem recebido na Raposa, que a torcida celeste entendeu o momento, assim como os torcedores atleticanos, afinal, já fazia mais de seis anos que ele havia vestido a camisa do arquirrival. No entanto, ele jogou apenas uma temporada pela Raposa em 1998, foi campeão mineiro e vice do Brasileiro e das copas do Brasil e Mercosul.

Depois daquele ano, a diretoria celeste decidiu dispensá-lo do Cruzeiro. De acordo com o ex-volante, um fator pesou: a identificação com o arquirrival Atlético. “O Levir me queria, mas o Zezé falou que ‘não’: ‘Não, não vamos ficar com ele, porque ele é atleticano’. Depois disso, ele acertou o retorno ao Atlético-MG.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.