Dois membros de torcida do Cruzeiro foram condenados a mais de 50 anos por crime contra atleticano

Dois integrantes da Máfia Azul, principal organizada do Cruzeiro, foram presos em Belo Horizonte nesta semana por homicídio de tentativa de homicídio de um torcedor do Atlético-MG. O crime aconteceu em novembro de 2021.

Destaca-se que ambos haviam sido condenados a mais de 50 anos de prisão pelo crime, mas entraram com recurso da decisão e conseguiram liberdade provisória. Os torcedores estavam usando tornozeleiras eletrônicas. 

Acontece que o Ministério Público de Minas Gerais contestou a decisão que permitiu com que os acusados deixassem a cadeira. De acordo com o órgão, a 6ª Câmara Criminal do TJMG foi omissa em relação à execução provisória da pena.

Relembre o caso com membros da organizada do Cruzeiro

Em novembro de 2021, após a partida entre Atlético-MG x Fluminense, no Mineirão, membros da organizada do Cruzeiro fizeram uma emboscada a um ônibus que levava diversos torcedores do Galo. 

O atentado, além de ter terminado na morte de um torcedor rival, deixou pelo menos 11 pessoas feridas e queimaduras. Na época, Gustavo Luiz da Silva e Walker Marcelino – integrantes da Máfia Azul – foram condenados a mais de 55 anos de prisão pela morte de Mateus de Freitas Ferreira, da Galoucura. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Gustavo recebeu uma sentença de 61 anos e 8 meses de detenção em regime fechado por ter cometido homicídio triplamente qualificado, caracterizado por motivo torpe, meio cruel e uso de recursos que dificultaram a defesa da vítima. 

Walker, por sua vez, foi sentenciado a 56 anos e 4 meses de reclusão em regime fechado. Ele foi considerado culpado por homicídio triplamente qualificado e também por sete tentativas de homicídio duplamente qualificado.

Comentários estão fechados.