Cruzeiro saiu do Mineirão com mais de R$ 4 milhões na conta

O Cruzeiro deixou escapar a chance de ser campeão mineiro no último domingo (7) ao perder para o Atlético-MG por 3 a 1, no Mineirão, que contou com 61.582 torcedores nas arquibancadas, quebrando o recorde do estádio desde a reforma para a Copa do Mundo de 2014, que até então pertenci ao Galo, de 61.573, em partida contra o Bragantino, pelo Brasileirão de 2021.

Com publico impressionante, o Cruzeiro obteve renda bruta de R$ 5.517.247,62 milhões, onde R$ 1.340.452,29 foram descontados em despesas, ficando com valor final líquido de R$ 4.176.795,33. Com muitos custos, os maiores valores descontados foram com taxas e impostos (R$ 528.924,75) e operacionais a Minas Arena (R$ 243.894,37), administradora do estádio.

  • Público: 61.582
  • Renda bruta: R$ 5.517.247,62
  • Despesas: R$ 1.340.452,29
  • Renda líquida: R$ 4.176.795,33

Sonhando com o título, a torcida do Cruzeiro esgotou rapidamente a sua carga de ingressos, ficando em aberto apenas as gratuidades. Para levar a taça, o time comandado por Larcamón poderia até empatar, mas não foi capaz e acabou derrotado por 3 a 1. Mateus Vital marcou para o Cruzeiro, enquanto Saravia, Hulk e Gustavo Scarpa marcaram para o Galo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Antes da decisão estadual, o maior publico do Cruzeiro em 2024 havia sido na semifinal, contra à Tombense, quando mais de 40 mil cruzeirenses estiveram no Mineirão. Apesar do preço salgado cobrado nos ingressos, a torcida comprou a briga do time e esgotou os bilhetes.

Depois do resultado negativo, o Cruzeiro anunciou a demissão do técnico Nico Larcamón, que deixa o clube após quatro meses de trabalho e 14 jogos disputados. Ao longo da passagem foram sete vitórias, quatro empates e três derrotas.

Comentários estão fechados.