Cruzeiro precisa rever os planos para atingir meta imposta desde 2023

Desde que Ronaldo Fenômeno assumiu o comando do Cruzeiro, o clube passou por altos e baixos. Vale a lembrança de que o primeiro ano sob a nova gestão foi mágico. A equipe celeste conquistou o sonhado acesso à Série A do Brasileirão com a mão nas costas. 

Já a temporada do ano passado não foi tão boa assim. O time até iniciou o ano bem, mas caiu durante o Campeonato Brasileiro e, no final das contas, lutou contra o rebaixamento. Evitou a queda e, de quebra, ainda ficou com uma vaga na Sul-Americana

Cruzeiro terá que rever os planos

O fato é que essa oscilação, em especial no ano passado, fez o número de sócios-torcedores do Cruzeiro despencar assustadoramente. Para se ter uma ideia, durante a Série B de 2022, o time chegou a ter mais de 70 mil adeptos ao programa, mas encerrou 2023 com pouco mais de 40 mil. 

Isso pode ser explicado basicamente por dois fatores. O primeiro pelo momento do time em campo, que, como mencionado, não era dos melhores. Além disso, no início de 2023, o Cruzeiro decidiu romper laços com a Minas Arena e deixou de usar o Mineirão para mandar suas partidas no Independência. O estádio do Horto é consideravelmente menor do que o Gigante da Pampulha.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Agora, o Cruzeiro terá que rever a estratégia para alcançar a meta estipulada para 2023. A saber, encerrar a temporada com, pelo menos, 50 mil sócios-torcedores. Não à toa, o clube mineiro anunciou a volta do projeto Caravana Cruzeiro, que percorre cidades do interior de Minas Gerais levando um pouco da experiência aos torcedores dessas localidades. 

Comentários estão fechados.