Cruzeiro e Atlético surpreendem e se unem por único motivo

Cruzeiro e Atlético-MG são os maiores clubes de Minas Gerais, possuem as maiores torcidas com grande vantagem e cultuam rivalidade há mais de 100 anos, mas se uniram neste momento por motivo surpreendente. Disputando o Campeonato Mineiro, as duas equipes se juntaram para reclamar com a Federação Mineira de Futebol (FMF) neste começo de temporada.

Os dois rivais se uniram neste momento para cobrar da federação uma maior qualidade nos gramados dos estádios no interior. Enquanto o Cruzeiro enfrentou o Villa Nova, no Castor Cifuentes, o Galo foi até Patrocínio enfrentar o Patrocinense. Independente dos resultados, as comissões técnicas reclamaram da péssima qualidade apresentada pelos mandantes.

Em Patrocínio, o técnico Felipão afirmou que o gramado do estádio Pedro Alves Nascimento estava um “pasto”. O goleiro Everson e o volante Edenilson também reclamaram. Na entrevista após o jogo, o atacante Paulinho reclamou aos repórteres da situação, que dificultou a realização da partida.

“Uma m****. A gente sabe que o gramado estava uma merda, mas tentamos competir de todos os jeitos. O time deles foi eficiente nas bolas aéreas. E é isso. Levantar a cabeça. Mas o campo está uma m**** mesmo”, disse Paulinho à Itatiaia.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ronaldo Corrêa, Presidente da Patrocinense, comentou as reclamações do Atlético, diminuindo o peso da interferência do gramado no resultado. O Galo perdeu por 2 a 1. “A derrota sempre é debitada em alguma coisa. Eles (Atlético) acharam o gramado. Porque a arbitragem, nós vimos que não beneficiou nosso time. Não vi em lugar nenhum algo que determinasse altura do gramado, e o nosso está no limite. Nos esforçamos ao máximo, mas choveu todos os dias. Se jogássemos futsal, teríamos um controle um pouco maior”, disse.

Comentários estão fechados.