Cruzeiro e Atlético-MG estão sendo prejudicados pela arbitragem?

Em menos de uma semana, tanto o Cruzeiro quanto o Atlético ficaram na bronca com a arbitragem brasileira, que uniu os rivais em revolta. O caso da Raposa, emblemático e caricato, aconteceu diante do Ituano, na última terça-feira, em jogo atrasado pela 14ª rodada da Série B do Brasileiro. 

Na ocasião, o atacante celeste Edu balançou as redes no final do primeiro tempo, mas teve o gol anulado por um suposto impedimento incorreto. O árbitro de vídeo daquela partida, ao traçar as linhas com ajuda da tecnologia, elegeu o defensor errado do Ituano, visto que havia um outro jogador dando condição para Edu. 

Já o time do Atlético-MG reclamou acentuadamente da atuação de Daronco, na partida contra o São Paulo, no último final de semana. Hulk, principal nome do Atlético, reclama de um pênalti não marcado que sofreu do zagueiro Miranda. Em campo, Daronco marcou escanteio, o árbitro de vídeo, no entanto, não chamou o juiz para rever o lance à beira de campo. 

Dois lados de um lance

O comentarista de arbitragem PC Oliveira disse que daria pênalti a favor do Atlético. “O fato de o Miranda só triscar a bola e ter entrado de uma maneira imprudente, como ele foi para a disputa, o toque na bola não anula a imprudência. No meu ponto de vista, foi pênalti”, analisou. 

Sandro Meira Ricci, que comentou a partida de domingo, afirmou que, inicialmente, ele chegou a considerar que houve pênalti na jogada, mas que depois de rever o lance por outras câmeras passou a concordar com a decisão de campo de Daronco. 

A ameaça de um juiz?

A situação mais grave foi revelada por Hulk em entrevista pós-jogo. De acordo com o atacante, o árbitro Daronco, ainda em campo, teria ameaçado o time do Atlético em jogos futuros, a depender da atitude do atleta diante das câmeras depois da partida. 

“O que mais me surpreendeu foi o Daronco chegar depois do jogo e falar ‘cuidado com o que você vai falar ‘. Eu perguntei o porquê e ele disse que não era o último jogo meu que ele apitava. Falei para ele que tenho minha consciência tranquila. O que eu falar eu vou assumir. Se é uma ameaça ou não, pergunta para ele”, disse. 

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.