Corinthians estuda utilizar ferramenta que salvou as contas do Cruzeiro

O Corinthians está vendo que a situação financeira pode não ter mais como contornar, viu que o Cruzeiro deu a volta por cima e estuda utilizar a mesma ferramenta que salvou a Raposa. Devendo que R$ 2 bilhões, o Timão não vem conseguindo arcar com os pagamentos e pode recorrer a Recuperação Judicial, método jurídico em andamento no Cabuloso, aprovada na justiça em 2023 pela gestão de Ronaldo.

Com problemas de bastidores, o Corinthians vem atrasando salários de funcionários e jogadores, perdeu o patrocinador máster por suposto esquema de corrupção e vê as contas ficarem super no vermelho. Buscando uma alternativa, a diretoria estuda pedir recuperação judicial, método que fez a dívida do Cruzeiro sair de R$ 1,3 bilhão para R$ 700 milhões.

De acordo com Marcelo Godke, sócio do escritório Godke Advogados, o Corinthians pode usar este método mesmo sem se transformar em Sociedade Anônima.

“Havia uma proibição de entes não empresariais ou empresários de pedir recuperação, só que alguns grupos de faculdade que eram feitos na forma de sociedade sem fins lucrativos, ou associações, algumas entidades religiosas que também, em tese, não têm fins lucrativos, clubes e agremiações, começaram a pedir recuperação judicial e, como o judiciário passou a entender que havia ali uma atividade econômica (ainda que não fosse na forma de uma atividade de empresa), elas deveriam também poder usufruir da possibilidade. Então a jurisprudência modulou isso e flexibilizou muito as restrições à lei”, disse o jurista.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

A Recuperação Judicial no Cruzeiro foi aprovada em agosto de 2023, vem sendo cumprida e vai realizar pagamentos aos credores nos próximos 18 anos.

Comentários estão fechados.