Banco não perdoa e Daniel Alves vai pagar dívida de cair o queixo

O lateral-direito Daniel Alves, que está na Espanha aguardando sentença final para o caso onde é acusado de agredir sexualmente uma mulher dentro de uma boate de Barcelona em dezembro de 2022, acabou de saber que banco não teve pena e agora o ex-jogador vai ter que pagar dívidas irreais. Após acordo judicial com o Banco Safra, Daniel vai pagar cerca de R$ 790 mil em razão de uma dívida contraída em 2022.

A dívida é recorrência de um empréstimo feito pelo jogador de R$ 2 milhões, com vencimento final em 2025. O valor cobrado é referente a parcelas que já deveriam ter sido pagas, além de juros. O acordo, que ainda precisa ser homologado pela Justiça, prevê que os valores serão transferidos de uma conta judicial onde o São Paulo, clube no qual o jogador atuou de 2019 a 2021, depositou pagamentos a que Alves tinha direito.

Daniel Alves foi condenado a quatro anos e meio de prisão por estupro, em Barcelona. O lateral ficou preso por um ano e quatro meses e foi solto após pagamento de uma fiança de 1 milhão de euros (R$ 5,4 milhões). De acordo com decisão da justiça, Daniel tem que comparecer ao tribunal todas às sextas-feiras.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Aos 41 anos, Daniel Alves disputou as Copas do Mundo de 2010, 2014 e 2022 pela Seleção Brasileira. O ex-jogador teve passagens por Bahia, Sevilla, Barcelona, PSG, Juventus, São Paulo e Pumas, do México. Por causa da punição, o jogador teve salários e vencimentos bloqueados em 2023, tendo que recorrer a amigos para pagamentos recentes.

Comentários estão fechados.