Atlético-MG é punido por situação lamentável no clássico contra o Cruzeiro

O Atlético-MG foi julgado e punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais na noite da última quinta-feira (14). A sessão extraordinária analisou a denúncia de cantos homofóbicos por parte da torcida atleticana no clássico contra o Cruzeiro, realizado em 3 de fevereiro, na Arena MRV, pela terceira rodada do Estadual. Não custa lembrar que a Raposa venceu o duelo por 2 a 0. 

Em teoria, o Atlético corria o risco de ser eliminado do Campeonato Mineiro. Essa havia sido a solicitação do procurador Felipe Bartolomeo Moreira, autor da denúncia. Contudo, o Tribunal achou de bom tamanho punir o Galo com uma multa de R$ 40 mil. 

Relembre o caso entre Atlético-MG e Cruzeiro

Durante o clássico, sempre que o goleiro Rafael Cabral cobrava os tiros de meta, parte da torcida que estava no estádio gritava “bicha”. Desta forma, o Atlético-MG foi denunciado com base no artigo 243 do Código Brasileira de Justiça Desportiva, que versa sobre a prática de “ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito”. 

Entre as penas previstas para este delito estava a multa de R$ 100 a R$ 100 mil, perda de pontos e de mando de campos. Como mencionado, o Galo recebeu apenas a primeira punição e terá que arcar com a multa de R$ 40 mil. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ainda em tempo, vale destacar que, durante a sessão, o Atlético também foi julgado por arremesso de objetos no campo de jogo e por invasão de torcedores no gramado, mas foi absolvido em ambos os casos por ter conseguido identificar os autores das infrações.

O fato é que o Atlético-MG enfrentará o América no domingo (17), às 19h, no Independência, pelo jogo de volta da semifinal. O Galo pode perder por até um gol de diferença. O Cruzeiro, por sua vez, recebe o Tombense no sábado (16), às 16h30, no Mineirão. Para avançar, a Raposa precisa de um empate.

Comentários estão fechados.