Advogados de Textor dão resposta surpreendente ao STJD

O empresário John Textor, dono da SAF do Botafogo, afirmou recentemente que partidas do Brasileirão são manipuladas para favorecer determinadas equipes e agora foi cobrado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O tribunal determinou que Textor apresente as provas das afirmações dadas e entrou em problemão. Advogados do americano responderam e o imbróglio vai longe.

Após fazer as afirmações, Textor foi cobrado pelo STJD, mas usou o seu corpo de advogados para tomar de conta da ação. Em resposta ao inquérito, conseguido pelo portal ge, os advogados afirmaram que em até 30 dias vão divulgar as informações, mas que é ilegal o órgão exigir a exibição das provas.

“Reunindo evidências para, em cerca de 30 (trinta) dias, prestar maiores esclarecimentos aos torcedores do Botafogo de Futebol e Regatas (“Botafogo”) acerca de acontecimentos ocorridos no último campeonato, o que inclui a conduta de determinados árbitros”, disse a defesa de Textor.

Ainda na resposta, os advogados de Textor explicaram que o empresário não quer decidir a questão na justiça desportiva, mas levar o caso ao pleno civil e criminal. “investigação criminal é de competência de justiça comum”, acrescentou a defesa.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Na última sexta-feira (8), John Textor publicou um vídeo em seu site, onde reforça que recebeu um áudio que foi “validado e autenticado”. De acordo com o americano, a partida em questão foi de uma “divisão menor”, que não envolve o Botafogo ou a disputa do Campeonato Brasileiro de 2023, mas que o caso é verdadeiro e existe no Brasil.

Comentários estão fechados.