A polêmica escalação de Palacios foi explicada por Nicolás Larcamón

Entender a cabeça do torcedor é mesmo algo complicado. Antes da estreia do Cruzeiro no Campeonato Mineiro, o discurso era para que Nicolás Larcamón usasse o torneio como um laboratório de testes. Porém, bastou sair a primeira escalação para que os protestos fossem instaurados no tribunal das redes sociais. 

O ponto de maior revolta, ao certo, foi a titularidade de Palacios, que atuou em uma função diferente: a de zagueiro. Destaca-se que o lateral-direito havia jogado assim no Elche, seu último clube antes de chegar ao Cruzeiro, em junho do ano passado. 

Larcamón defende Palacios em coletiva

Em entrevista coletiva concedida após o jogo, Larcamón comentou sobre suas escolhas. Se a escalação foi contestada, o resultado não. O Cruzeiro venceu a partida por 2 a 1 e iniciou a sua campanha no Estadual com o pé direito. 

Para a partida contra o Villa Nova, Nicolás Larcamón montou uma linha de três na defesa, formada por Palacios, Neris e Marlon. O treinador defendeu a sua escolha e explicou o que o levou a tomar essa decisão. 

“Ele jogava na linha de três na Espanha. Palacios, nesta semana, foi o jogador que mais energia de equipe transmitiu nos trabalhos. Na semana, trabalhou na equipe suplente e competiu. No treinamento mais importante da semana, saiu-se bem”, disse.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Porém, Larcamón não cravou Palacios como titular na próxima rodada, quando o Cruzeiro enfrentará o Athletic, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Essa partida acontecerá no sábado (27), às 16h30. Ao que tudo indica, Zé Ivaldo deve ser acionado no setor.

Helibelton Palacios chegou ao Cruzeiro em junho do ano passado, após deixar o Elche, da Espanha. O lateral assinou contrato com a Raposa até dezembro de 2025.

Comentários estão fechados.